Quero uma chuva de afetos

Estonteante como aguardente

Surgindo do céu e do nada

Feliz e surpreendente

Quero uma chuva de afetos

Que me brote onde há semente

Me plante calma e suspiros

E sonhos eternamente

Quero uma chuva de afetos

Súbita como acidente

Despreocupada, solta

Meio inconsequente

Quero uma chuva de afetos

Porque ternura é urgente

Que me transforme as normas

E me encante de forma valente

Simples, sem muitas palavras

Porque toda palavra mente

Que me regue a alma toda

E me faça ser mais valente

           Mônica Raouf El Bayeh

Comente com Facebook

Se quiser conhecer meus livros